DaDerm | Estrias, causas & tratamentos

Estrias, causas & tratamentos

ESTRIAS, COMO TRATAR.

As estrias são um tipo cicatriz atrófica. Isso significa que por debaixo das estrias há uma parte da pele com pouco colágeno. Por isso todos os tratamentos para melhorar estrias visam estimular a produção desta proteína naquele local.

As estrias recentes são avermelhadas ou violáceas, e quando tocamos, sentimos seu relevo, elas podem coçar. As mais antigas são brancas, levemente deprimidas e geralmente são mais claras que a cor da pele. As estrias também podem ser largas ou finas.

Existem tratamentos para todo tipo de estria?

Diferenças entre os sabonetes líquidos e em barra

Ao contrário do que muitos pensam, estrias antigas também respondem aos tratamentos assim as estrias recentes.

Existem vários tratamentos para as estrias, mas temos que levar em conta sua coloração, a largura da estria, o local que ela está, sua extensão e o tempo de surgimento.

Além disso, temos que orientar o paciente com relação a fatores externos que influenciam no tratamento, que vão desde a exposição solar até da quantidade da ingestão hídrica no dia a dia.

Temos que deixar claro que para tratar estrias precisamos unir vários fatores e o resultado vai depender não só da técnica utilizada, mas de todo contexto.

Podemos ainda transformar as estrias claras em vermelhas para obtermos uma melhor resposta no tratamento.

O preparo da pele antes de qualquer técnica é importante e o acompanhamento com o médico dermatologista é fundamental, respeitando as orientações.

TRATAMENTOS:

Existem tratamentos para todo tipo de estria?

Peelings químicos – Aplicação de substâncias sobre as estrias, que esfoliam a pele, além de estimular o colágeno. Existem peelings para todo tipo de pele. Geralmente são necessárias múltiplas sessões, causam pouco desconforto, e podem ser feitos a cada 2 a 4 semanas.

Existem tratamentos para todo tipo de estria?

Subcissão – Método no qual agulhas especiais são inseridas dentro das estrias, a fim de estimular colágeno. O método é feito sob anestesia local. É um tratamento indicado principalmente para estrias largas.

Lasers ablativos fracionados, Lasers não ablativos fracionados

Lasers ablativos fracionados – Tratamento um pouco mais agressivo, porém consegue-se uma boa resposta com menos sessões. Cremes anestésicos são utilizados para aliviar o incomodo do procedimento. Evita-se a técnica em pacientes morenos e negros, pelo risco de surgimento de manchas. Nas peles claras, esta é uma ótima opção, com bons resultados.

Lasers não ablativos fracionados – São lasers que, ao contrário dos lasers ablativos, não ferem a epiderme (camada mais superficial da pele). Este tratamento é bastante seguro, com recuperação mais rápida e com menor chance de surgirem manchas residuais na pele, porem são necessárias mais sessões.

Existem tratamentos para todo tipo de estria?

Microagulhamento –Técnica onde se se utiliza caneta de micropunção elétrica ou um rolo com diversas agulhas que são passadas sucessivamente sobre a pele. Pode ser acrescentado Drug Delivere (utilização de substancias durante ou depois da sessão para potencializar o procedimento). São necessárias algumas sessões. É um método cada vez mais utilizado por ser seguro e com boa resposta. Além disso, é pouco doloroso e raramente provoca manchas residuais.

Luz intensa pulsada

Luz intensa pulsada –São tecnologias que emitem luz. As estrias vermelhas são as que melhor respondem a esse tratamento, obtendo bons resultados, com pouca dor e recuperação rápida. São necessárias algumas sessões. Podem ser associados a peelings, com resultados ainda melhores.

Mas qual tratamento devo fazer?

Procure um dermatologista para o tratamento de suas estrias. Uma avaliação detalhada do seu tipo de pele, do tipo de estria que você apresenta e qual o melhor tratamento no seu caso, será indicado pelo especialista. Com tudo, a melhora é gradual, ao longo dos meses, com a produção de colágeno. Apesar das estrias não sumirem completamente, é possível diminuí-las bastante e ter resultados satisfatórios.

Por: Dra. Daniela Ferro Farias

Gostou? Compartilhe este conteúdo
Retornar à página principal do BLOG

Comente este post!

DADERM DERMATOLOGIA © 2019 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.

Website by Melhor Alcance