ROSÁCEA, como saber se eu tenho?

ROSÁCEA, como saber se eu tenho?

Se a sua pele é muito sensível, fica avermelhada durante o dia, tem pequenos vasinhos visíveis e, às vezes, aparecem lesões como acne, há chances de você ter rosácea. A rosácea não tem cura, mas pode ser bem controlada.

A rosácea, também conhecida como acne rosácea, é uma doença inflamatória crônica da pele que afeta principalmente os adultos após os 30 anos de idade, sendo mais frequente nas mulheres de pele clara.

Demodex folliculorum Demodex folliculorum

A causa é desconhecida. O parasita Demodex folliculorum, presente nos folículos pilo-sebáceos, parece estar envolvido com a doença apenas de forma oportunista. Predisposição pessoal, familiar e alterações gastrointestinais também podem ter participação na causa da doença.

A rosácea atinge principalmente a região central da face (maças do rosto, nariz, testa e queixo). O quadro inicia-se por vermelhidão, a princípio transitória, mas que depois torna-se persistente. Com a progressão da doença, surgem também pequenos vasos sanguíneos dilatados (telangiectasias), lesões avermelhadas e elevadas (pápulas) e pontos amarelos (pústulas), que parecem espinhas, daí a denominação acne rosácea, pela semelhança com a acne. Uma diferença importante é que a pele acneica é oleosa com comedões (cravos). Já a pele com rosácea é muito sensível, ressecada e sem comedões.

 Paciente com Rosácea Paciente com Rosácea

Casos mais graves de rosácea podem atingir áreas extensas da face, com inflamação e edema, formando placas avermelhadas e nódulos. Em alguns pacientes podem ocorrer alterações oculares inflamatórias, como conjuntivite ou inflamação da córnea, pálpebra e íris. Por isso, após diagnóstico pelo dermatologista, os pacientes devem ser avaliados pelo oftamologista.

Nos homens, o quadro pode ser mais grave e a evolução da doença pode levar ao surgimento de rinofima, quando ocorre o aumento do volume do nariz, cuja pele se apresenta infiltrada, com os poros dilatados e com elevações na superfície.

Certos alimentos podem piorar o quadro como: café, bebidas alcoólicas, alimentos picantes e bebidas quentes. Além disso, frio e calor intenso, assim como a exposição solar, podem estar implicados na piora das lesões, bem como o uso de determinados cosméticos, ácidos, corticóides e sabonetes abrasivos. A pele danificada pelo sol ao longo dos anos também pode predispor ao surgimento da doença. Fatores emocionais como o estresse e alterações hormonais também são pontos de piora da rosácea.

O tratamento não é definitivo, mas mantém a doença sob controle. Deve-se evitar os fatores que provocam piora do quadro, além disso, é fundamental utilizar protetor solar diariamente, preferencialmente os filtros físicos que são menos irritantes para a pele do que os químicos;

Deve-se ter cuidado com os cosméticos e higienizadores do dia a dia. Utilizar sabonetes com PH neutro, não usar bucha, evitar produtos que contenham álcool e secar o rosto com uma toalha macia. Hidratar a pele com loções para pele sensível, específicas para o quadro.

Pode-se utilizar algumas maquiagens que ajudam a camuflar a vermelhidão, como os corretivos e bases no tom verde.

As medicações devem ser indicadas por médico especialista, avaliando cada caso. Dentre as medicações disponíveis, temos vasoconstritores, anti-inflamatórios e antibióticos tópicos, alem de medicações via oral.

 Tratamento Luz Intensa Pulsada Tratamento Luz Intensa Pulsada

A aplicação da luz intensa pulsada também pode ser utilizada para o tratamento das pessoas que apresentam apenas eritema. A energia da luz pulsada é atraída pelo pigmento da hemoglobina presente nas células sanguíneas que estão dentro dos pequenos vasos promovendo a sua destruição pelo calor. Em geral, são necessárias algumas sessões para se obter um melhor resultado.

As telangiectasias de maior tamanho podem ser tratadas com a luz pulsada , fulguração ou laser . O tratamento do rinofima é cirúrgico, podendo ser utilizada a dermoabrasão , o laser de CO2 e cauterização química.

A indicação do tratamento adequado e a sua duração vai depender da intensidade de cada caso, devendo ser definida pelo médico dermatologista.

Por: Dra. Daniela Ferro Farias

Gostou? Compartilhe este conteúdo

Comente este post!

DADERM DERMATOLOGIA © 2019 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.

Website by Melhor Alcance